Relações entre o Teatro do Oprimido e a mídia-educação na escola

  • Mônica Fantin Universidad Federal de Santa Catarina (Brasil)
  • Bárbara Malcut Universidad Federal de Santa Catarina (Brasil)
Palabras clave: Mídia-educação, Teatro do Oprimido, Escola, Episódios de aprendizagem situada, Jovens

Resumen

O texto discute a relação entre educação, comunicação e arte na construção de competências culturais e midiáticas entre jovens estudantes na escola. No contexto de uma pesquisa mais ampla sobre multiletramentos e competências midiáticas, foi desenvolvida uma pesquisa de mestrado com o objetivo de entender como os estudantes compreendem a cultura do outro e a própria cultura a partir de pesquisas na internet e de produções midiáticas. Por meio da aproximação entre Mídia-Educação e Teatro do Oprimido (TO) foi proposta uma intervenção didática com a metodologia dos Episódios de Aprendizagem Situada (EAS) com jovens estudantes de uma turma do oitavo ano de uma escola pública de Florianópolis/SC. A potência de tal articulação promoveu experiências educativas e culturais que propiciaram outras narrativas sobre o proceso de ensinar e aprender e deram visibilidade a outros olhares dos estudantes sobre si próprios, sobre a mídia, sobre o conhecimento e sobre o entorno cultural, além de promover práticas colaborativas e autorais na escola e fora dela.

 

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Mônica Fantin, Universidad Federal de Santa Catarina (Brasil)

Doctora en Educación y Comunicación por la Universidad Federal de Santa Catarina, Brasil.

Bárbara Malcut, Universidad Federal de Santa Catarina (Brasil)

Magister en Educación y Comunicación por la Universidad Federal de Santa Catarina, Brasil.

Citas

Media education; Theater of the Oppressed; school; episodes of localized learning; youth

Arendt, H. (1997). Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva.

Bauman, Z. (2001). Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Zahar.

Berthoz, A. (2012). La Semplesssità. Torino: Codice.

Boal, A. (2005). Teatro do Oprimido e outras poéticas políticas. São Paulo: Record.

Brecht, B. (1967). Teatro dialético: ensaios. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Bruner, J. (2001). A cultura da educação. Porto Alegre: Artmed.

Buckingham, D. (2007). Crescer na era das mídias eletrônicas. São Paulo: Edições Loyola.

Canclini, N. G. (1997). Culturas hibridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: EdUSP.

Cope, B., & Kalantzis, M. (Eds.) (2000). Multiliteracies: literacy learning and the design of social futures. New York: Routledge.

Fantin, M. (2006). Mídia-Educação: conceitos, experiências diálogos Brasil-Itália. Florianópolis: Cidade Futura.

Fantin, M. (2015). Novos Paradigmas da didática e a proposta metodológica dos Episódios de Aprendizagem Situada, EAS. Educação & Realidade, v. 40, n. 2, p. 443-464. ISSN 2175-6236. http://dx.doi.org/10.1590/2175-623646056.

Fantin, M., & Rivoltella, P. C. (Orgs.) (2012). Cultura digital e escola: pesquisa e formação de professores. Campinas: Papirus.

Ferrés, J., & Piscitelli, A. (2012). La competencia mediática: propuesta articulada de indicadores e dimensiones. Comunicar, 38, XIX, p. 75-82. https://doi.org/10.3916/ C38-2012-02-08.

Freinet, C. (2002). La Scuola del Fare. Bergamo: Junior.132

Giddens, A. (2000). O mundo na era da globalização. Lisboa: Presença.

Hall, S. (1997). A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. Educação e Realidade. v. 22, n. 2, pp. 15-46.

Hall, S. (2003). A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&M.

Malcut, B. (2016). Culturas que emergem na escola: pesquisa na internet, produção audiovisual e competências midiáticas de jovens estudantes. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, Florianópolis, Brasil.

Martin-Barbero, J. (2009). Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia (6a ed.). Rio de Janeiro: Editora UFJR.

Mazur, E. (2007). Peer Instruction: getting students to think in class. New York: American Institute of Pyisics.

Mead, M. (2006). Cultura e compromisso. Barcelona: Gedisa.

Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – Unesco (2013). Alfabetização midiática e informacional: currículo para a formação de professores. Brasília: Unesco.

Pais, J. M. (2006). Busca de si: expressividades e identidades juvenis. In Almeida, M. I. M. de., & Eugenio, F. (Orgs). Culturas jovens: novos mapas do afeto. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Rivoltella, P. C. (2005). Media education: fondamenti didattici e prospettive di ricerca. Brescia, La Scuola.

Rivoltella, P. C. (2009). Mídia-Educação e pesquisa educativa. Perspectiva, v. 27, n. 1, pp. 119-140. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2009v27n1p119

Rivoltella, P. C. (2012). Retrospectivas e tendências da pesquisa em Mídia-Educação no contexto internacional. In Fantin, M., & Rivoltella, P. C. (Orgs). Cultura digital e escola: pesquisa e formação de professores. Campinas: Papirus.

Rivoltella, P. C. (2013). Fare Didattica con gli EAS. Brescia: La Scuola.

Livingstone, S. (2011). Internet literacy: a negociação dos jovens com as novas oportunidades online. Matrizes, v. 4, n. 2, pp. 11-42.

Toffler, A. (1980). A Terceira Onda. Rio de Janeiro: Record.

Tufte, B., & Christensen, O. (2009, jan./jun.). Mídia-Educação: entre a teoria e a prática. Perspectiva, v. 27, n. 1, pp. 97-116. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-795X. 2009v27n1p97

Williams, R. (1958). A Cultura é de todos. Tradução Maria Elisa Cevasco. Recuperado de https://www.scribd.com/document/68474445/A-Cultura-e-Ordinaria1

Publicado
2019-11-22
Cómo citar
Fantin, M., & Malcut, B. (2019). Relações entre o Teatro do Oprimido e a mídia-educação na escola. Contratexto, (032), 111-132. https://doi.org/10.26439/contratexto2019.n032.4613